Sou muito velho. Nasci de uma planta chamada cacaueiro e já fui uma bebida amarga. Fui passeando de continente em continente, por fim, após anos de pesquisa me transformaram em algo inesquecível. Hoje, sou aquele que dá vida ao amargo, meio-amargo, ao leite, branco, diet, em pó, solúvel, coberturas.
Sou aquele que ninguém esquece, derreto na boca, quando me encontram os olhos brilham e já começam com pensamentos ousados e, com isso, vou me sentindo um pop star. Todos me adoram e, dessa forma, vou me derretendo por aquelas bocas sôfregas de paixão e deslizo gargantas a dentro cheio do expressivo ser afrodisíaco que realmente sou..
Quem me conhece não me abandona, tampouco me esquece. Sou muito convencido, pois igual não há.
Ah!, já ia esquecendo de me apresentar...
Eu sou o CHOCOLATE!

(Autora: Bárbara de Fátima Alves de Oliveira)













 

 

domingo, 26 de fevereiro de 2017

Máscara de Carnaval

Como te quero e admiro
Máscara querida,
Porque não és fingida...
Tu não mentes, 
Dizes o que sentes, 
És o que és...
Fica conosco
O ano inteiro;
Ensina o homem
A ser verdadeiro;
Tapa-lhe a cara
De máscara disfarçada,
Que faz do mundo atual,
Um terrível
E constante Carnaval.

(Autora: Maria Alice Fonseca)

Nenhum comentário: